Qual o Melhor Remédio para Disfunção Erétil? Confira Nossa Analise com as Melhores Escolhas!

Qual o melhor remédio para disfunção erétil? A disfunção erétil é um dos problemas que mais atingem os homens, principalmente depois de uma determinada idade. É comum que esse seja um tema muito polêmico e que as pessoas não queiram falar sobre isso, por medo ou vergonha. Afinal, não é um tema fácil de tratar, mas a disfunção pode ser rapidamente corrigida.

Se você está nessa situação ou se conhece alguém que tem disfunção erétil, não há com o que se preocupar. O primeiro passo é entender que essa é a realidade de mais homens do que você deve pensar, e que há uma causa e uma ajuda que pode ser fornecida. Existem uma taxa de pessoas que não procura por ajuda, e isso é alarmante.

Muitas perguntas podem ser feitas acerca da questão, e algumas vezes as pessoas acabam não encontrando as respostas de primeira. Afinal, existem remédios bons? A pessoa vai ter uma vida sexual normal novamente? Há uma cura definitiva? Qual o melhor remédio para disfunção erétil? Por que as pessoas ficam com disfunção? Essas são apenas alguns questionamentos comuns.

Acompanhe o guia que nós do Homem Seguro preparamos a seguir e entenda mais sobre o assunto. Assim, você não fica por fora e pode até conseguir tratamento mais rápido. Afinal, esse não é um dos problemas mais graves, com os quais você precisa realmente se preocupar. Se está se perguntando Qual o melhor remédio para disfunção erétil? Já podemos te adiantar que há remédios muito eficientes! Saiba mais sobre disfunção erétil.

disfunção Erétil

Por que você tem disfunção Erétil

Uma das perguntas mais frequentes é a que está descrita acima. Muitos dos homens que possuem disfunção acabam se perguntando várias e várias vezes a razão desse problema ocorrer especificamente com ele, o que é compreensível. O problema é encontrar uma boa resposta. Aqui, vamos te explicar como tudo ocorre.

Primeiramente, precisamos esclarecer o conceito, pois muitas pessoas acabam entendendo como disfunção erétil algo que não verdade não é. A definição seria: a incapacidade de ter ou manter uma ereção no pênis para conseguir ter relações sexuais de maneira satisfatória. É o mesmo que falar sobre impotência sexual.

Para que a pessoa consiga uma ereção, muitos músculos e tecidos precisam ser acionados. Principalmente, falamos sobre problemas com o músculo de pênis quando estamos tratando das causas dessa disfunção. Porém, é bem difícil falar ao certo o que pode estar acontecendo.

É por isso que o médico especialista pode pedir exames para checagem. Na realidade, as causas para disfunção erétil são extremamente variadas e isso vai depender também do histórico da pessoa, no que diz respeito a vida sexual.

O primeiro motivo que podemos dar são fatores psicológicos. Você pode estar em estados de ansiedade constante ou depressão, e isso impedirá o fluxo sanguíneo adequado para causar uma boa ereção. Apesar de subestimados, os motivos psicológicos são os mais comuns quando falamos de episódios não regulares.

Podemos falar também de fatores hormonais. Se o homem estiver com níveis baixos de testosterona, ou com diabetes muito acentuada, os problemas com ereção se tornam mais comuns. As condições do sistema endócrino, sejam elas quais forem, também podem acabar por resultar em uma disfunção. Se esse for o caso, é importante tomar medicamentos para regulação desse sistema.

Algumas doenças como Alzheimer e mal de Parkinson também podem contribuir para um quadro permanente de disfunção erétil. Nesse caso, o nome precisará ver se há a possibilidade de controlar a condição.

Podemos falar, ainda em algumas doenças vasculares, sendo a principal delas a hipertensão. O aumento de pressão pode impedir tanto a circulação do sangue até o pênis, atividade essencial para ter uma ereção, quanto o correto funcionamento de outros órgãos, que pode influenciar no caminho percorrido até que a ereção ocorra efetivamente.

Por fim, devemos pontuar outros dois fatores de risco que são mais comuns: o consumo de álcool e o tabagismo. As substâncias encontradas nesses produtos podem afetar o sistema endócrino, o sistema nervoso e interferir no equilíbrio natural do organismo. Com isso, o homem pode apresentar mais episódios de disfunção até que vire um problema crônico.

Podemos citar, como os principais fatores de risco e atenção para disfunção erétil, os seguintes: tabagismo, sedentarismo, obesidade, colesterol alto, triglicérides alterados, hipertensão, diabetes ou princípio de diabetes e ansiedade crônica.

disfunção Erétil tem cura

Disfunção erétil tem cura definitiva

Agora que você já entendeu mais sobre alguns dos fatores que podem causar a disfunção erétil, podemos ir à pergunta que todos fazem: mas há uma cura definitiva, que garante que o homem nunca mais terá episódios de disfunção? A vida sexual pode realmente melhorar?

Vamos esclarecer algo antes de prosseguir. Não conseguir manter uma ereção uma vez ou outra não quer dizer que você tenha disfunção erétil. Inclusive, podemos dizer que é normal não ter ereção 100% das vezes, pois nem sempre você estará no momento adequado, no ambiente adequado, entre outros motivos. Por isso, fique tranquilo, pois não conseguir ter ereção não é um sinal de disfunção.

Se você está com episódios de dificuldade de ter ereção regularmente, podemos falar efetivamente sobre disfunção. Nesse caso, você vai precisar do tratamento de um médico especializado, que leva o nome de urologista. Vamos deixar claro que há tratamento e que há cura para a disfunção. Por isso, você não precisa se preocupar! Basta procurar ajuda.

Primeiramente, você vai precisar consultar o seu médico e contar o que está ocorrendo. É mais fácil dar dados precisos, e ir consultar o urologista mesmo que seja apenas uma suspeita. Ele pode avaliar a sua situação com um olhar mais profissional, e vai entender se estamos diante de um quadro grave ou leve. Seja como for, alguns exames serão pedidos.

Há um questionário, chamado de índice internacional de função erétil, que é muito usado por urologistas para definir se o quadro apresentado pode ser classificado como impotência. De maneira mais geral, as perguntas vão se concentrar na qualidade e na frequência das suas ereções. É interessante fazer o teste para que um parâmetro possa ser estabelecido.

O exame especialmente inventado para identificar o que está causando a disfunção é chamado de ecodoppler peniano. Nele, o médico consegue verificar o fluxo de sangue por meio das cavidades, o funcionamento das artérias localizadas no membro e os fatores de resistência à ereção. Tudo isso é feito por meio da injeção de uma substância que provoca ereção rápida.

Ok, você já entendeu o suficiente sobre os exames. E o tratamento de cura? Ele pode ser feito por diversas vias. Se a causa da disfunção são hábitos de vida, já adiantamos que você precisará fazer uma modificação dos seus hábitos, como o hábito de fumar ou de consumir álcool.

Os exercícios físicos podem ajudar em todos os casos, mesmo quando o problema é crônico. Outro grande aliado é a terapia, que poderá ser feita mesmo se o motivo da disfunção não é psicológico, para ajudar o homem a restaurar a qualidade de sua vida sexual.

Qual o Melhor Remédio Para Disfunção Erétil

Qual o melhor remédio para disfunção erétil? 

Agora, vamos falar um pouco mais sobre a principal forma de tratamento da disfunção erétil, assim como a ejaculação precoce, ela não podia ser outra: os remédios realmente ajudam a instaurar uma qualidade de vida melhor. Devemos pontuar apenas um detalhe. Sim, há cura para disfunção, porém ela pode ou não pode ser definitiva.

Como, quando falamos sobre essa doença, cada caso é um caso, devemos investigar as causas e o comportamento dos pacientes frente a essa questão para definir se ele precisará tomar os remédios para sempre, ou apenas por um período de tempo.

Pode ser que, se a situação for mais grave ou crônica, o homem tenha que usar os remédios constantemente. Mas não há problemas, uma vez que os medicamentos são realmente eficientes e podem ajudar a melhorar o quadro em questão de instantes. Com remédios ou sem remédios, o homem com disfunção erétil já pode levar uma vida sexual normal, como qualquer outra pessoa que não porta nenhuma doença.

Ainda devemos informar que o uso de medicamentos pode ser necessário, por um tempo, mesmo se as causas forem hábitos ruins ou condições psicológicas. Nesses casos, os remédios podem te ajudar a melhorar ao longo do tratamento, e você poderá parar o uso depois.

Sem mais delongas, você vai conhecer qual o melhor remédio para disfunção erétil, e como podem ser reais aliados para quem sobre com um quadro de disfunção. Entenda mais sobre cada um deles a seguir e tire todas as suas dúvidas antes de ingressar no tratamento.

Viagra

O princípio do viagra é chamado de Sildenafil, nome mais técnico para o medicamento. Ele é indicado para casos crônicos de disfunção erétil, em homens de qualquer faixa de idade. Ele foi desenvolvido para outra necessidade, mas acabou sendo usado nesse tratamento pela eficiência em provocar ereções.

Os efeitos são muito extensos, e podem durar por até 4 horas seguidas. A ereção começa em até 30 minutos depois que o homem toma o remédio. Por isso, é recomendado que a administração seja feita logo antes de ter relações sexuais.

Você pode tomar apenas uma dose por dia, aumentando essa frequência apenas em casos mais graves. Se o paciente não seguir essas recomendações, pode acabar sentindo efeitos colaterais com mais intensidade. O homem pode sentir muita sonolência e tontura, por exemplo.

Esse medicamento existe na quantidade de 25 mg, 50 mg ou 100 mg. A dose mais baixa apresenta efeitos menos intensos, mas pode ser recomendada se o homem não apresentar sintomas muito recorrentes. Já a dose mais forte é recomendada para quem tem disfunção por muito tempo, podendo ser usada para condições crônicas.

Você pode tomar viagra e ingerir álcool e alimentos, mas algumas comidas podem retratar o efeito do remédio. Cuidado, também, ao dirigir ou operar máquinas.

Cialis

cialisCialis é o nome comercial que o princípio Tadalafil leva. Esse medicamento permite uma ereção com mais liberdade, pois você não precisa fazer como o Viagra e tomar apenas antes de uma relação sexual. Isso ocorre, pois a droga permanece no seu organismo por mais tempo: são até 36 horas.

Isso não quer dizer que você terá ereções ao longo de todo o dia. Na realidade, o medicamento está programado para gerar ereções apenas na presença de uma estimulação sexual. Se você está em uma relação contínua ou não tem tempo de planejar todas as relações, é recomendado tomar cialis. O medicamento também é indicado para quem precisa de tratamento de longo prazo.

Você pode usar o medicamento a qualquer hora do dia, mas o recomendado é tomar algumas horas antes da relação sexual. Assim, você garante que a estimulação leve à ereção. Devemos pontuar, também, que existe uma versão diária do medicamento, que deve ser tomada na hora mais conveniente.

As doses do remédio são de 10 mg ou de 20 mg. O recomendado é tomar primeiro a dose de 10 mg, e se houver necessidade, aumentar para a dose mais alta. Apenas em alguns casos, o médico vai receitar a maior dose no primeiro uso. Cuidado, apenas, para não tomar mais de uma dose em um período de 24 horas.

Stendra (Spedra)

comprar spedraO Spedra tem como princípio ativo o avanafil, um poderoso aliado para quem sofre de disfunções recorrentes. Se esse é seu caso, e você tem 18 anos ou mais, pode apostar no medicamento. Ele pode ser tomado 15 ou 30 minutos antes de uma relação sexual, dependendo da gravidade do caso.

Na prática, os efeitos duram por até 6 horas, mas esse período pode ser diferente dependendo da pessoa. Apesar do período de apenas 6 horas, você deve tomar cuidado: nunca tome mais de uma dose em um dia, ou seja, em 24 horas, ou você estará sujeito aos efeitos colaterais em maior escala.

A dose desse medicamento pode variar entre 50 mg, 100 mg ou 200 mg, sendo a dose mais forte recomendada apenas em casos de disfunção por longos períodos de tempo, ou de condições já diagnosticadas como crônicas. As caixas podem variar entre 4, 8 ou 12 comprimidos. A dose inicial recomendada para a maioria dos pacientes é de 100 mg. Você conseguirá manter uma ereção suficiente, de acordo com os estudos da área.

O paciente em tratamento, principalmente se for mais recente, pode sentir tonturas, dor de cabeça e pressão mais baixa. Porém, os efeitos tendem a sumir com o passar do tempo.

Levitra

comprar LevitraEssa é uma das melhores alternativas ao Cialis e ao Viagra. É por isso que dizemos que o Levitra funciona bem para quem tem problemas de saúde, e não pode fazer o uso de outros medicamentos da lista.

Os efeitos são extensos, e você não precisa tomar mais de uma dose por dia para manter boas relações por até 5 horas de duração. Esse efeito começa em cerca de 15 a 30 minutos depois que o paciente ingere o medicamento.

Por conta de seus princípios ativos, que são menos agressivos comparados com os medicamentos anteriores, o Levitra se tornou muito indicado para o tratamento em homens com mais de 50 anos, que já possuem condições de saúde como a hipertensão e alteração no colesterol.

As doses são divididas entre 5 mg, 10 mg e 20 mg. A dosagem chamada de dosagem padrão é de 10 mg, e você só precisará tomar menos se houver algum risco de saúde. Homens com condições crônicas podem tomar a dose mais alta.

Os efeitos colaterais são mínimos e podem ser contornados depois de algum tempo de uso. O corpo vai se acostumar com o medicamento, e condições como dor de cabeça, corrimento nasal e tontura diminuirão.

css.php